segunda-feira, maio 31, 2010

Desculpa pelo tempo

8 as nuvens têm seu tempo de passagem concordado com os fragmentos do vento... Captei no meu céu natal.

por Rafael Belo

Uma vez escrevi sobre o tempo e seu significado. Lembro minha reflexão central do tema: O mundo é o tempo do nosso pensar. Desde então a desculpa do tempo deixou de sê-la porque tempo não é desculpa. Como uma definição passei a torcer os lábios a toda demonstração desta ‘razão’ para não fazer algo. O maior motivo é o fato de nos ocuparmos tanto com formas diversas de ganhar dinheiro para não o utilizarmos da maneira querida.

Cansamos, precisamos dormir, necessitamos de uma fuga ou parafraseando a ironia de Bandeira em seu “Poema tirado de uma notícia de jornal”: viver era entrar em um bar, beber, cantar e dançar... Fora isso eram uma morte simbólica e um cotidiano tachado pelo tempo sobre taxas de uma realidade tarimbada pelo João Gostoso do poema. Viver para trabalhar, trabalhar para viver parece passar pelos olhos dos trabalhadores a cada manhã como se o tempo nada fosse a não ser um castigo, uma repetição até aquele viver.

Tudo passa com o tempo, pois este está no caminho, mas não significa esquecimento nem distância é mais uma constatação a dizer sobre os passos seguintes e isso pode demorar mais ou demora pode ser apenas uma relativização simplista demais. Voltando ao nosso pensar do primeiro parágrafo, este relógio biológico inerente a nós vem e vai daí. Nosso humor e dissabores diários dependem das nossas idiossincrasias e então o tempo pode nem existir.

Não posso ver o amanhã por ele acontecer a todo instante antes de se tornar presente e correr para o passado nesse meu tempo. Sirvo-me do relógio para saber em qual momento do dia vivo e nem sempre isso acontece enquanto trabalho na profissão escolhida porque preciso dos meus momentos comigo, dos meus momentos com os outros como necessidade para respirar e perder a respiração. É a precisão de independência a se manifestar de forma diferente em cada tempo onde somos nós. Espaço aonde nem nós nos controlamos, apenas fluímos.

7 comentários:

La Sorcière disse...

Rafa, seu texto me pegou desprevenida e eu reli pelo menos umas três vezes...
O que é o tempo para mim?
Eu nem sei...

Mônica disse...

"Tempo, tempo, tempo, mano velho..." Difícil administrá-lo corretamente.

Bjs

Kellen Rodrigues disse...

Oi, querido!! Brigadão!! :)
Tô fazendo frila pra Exame, toda boba rsrs
bjs

Ana disse...

"Batidas na porta da frente...é o tempo."
Rafa, na vida é preciso dosagem pra tudo. E o tempo tem sido algo que nem todos sabem dosar. Isso é triste. Amo seus comentários no meu blog, parece que dá mais inspiração sabe..hehe Excelent Post!
Aqui é um lugar onde eu me sinto a vontade, pode ter certeza.
beijoos

Déia disse...

Sabe o que mais gosto, desde pequena?

Deixar o tempo passar, olhando pro céu, vendo bichinhos nas núvens!

rs

bjkas

Rafael Belo disse...

rs a semente foi plantada Lelezinha rs ;

piegas mas é das dificulades que nos superamos Nikinha rs;

bom 'vê-la' de volta por aqui querida Aninha, fico muito feliz de saber sobre os coments ;+ e felicíssimo por lhe ter à vontade por aqui beijos;

nuvens, bichinhos, a mente rsrs o tempo e nós Déa o tempo e nós, nós do tempo :D bj.

Naty Araújo disse...

Nossa... eu jurava que tivesse comentado nesse seu texto.
Juro que li duas vezes depois que li pela primeira... Jurava que tinha comentado.

Fui entrar pra ler sua resposta, mas não tinha comentário algum kkkkkkkkk.

E esse texto sobre o tempo ficou show!
Tantos colocam a desculpa no tempo, não é mesmo?
Mas na verdade o culpado somos nós, que não sabemos administrá-lo da forma que deveria.

Seríamos ricos, se soubéssemos administrá-lo.

Beijos.