segunda-feira, maio 24, 2010

Raiva em dia

8 em dia de chuva as gotas se prendem em contraste e conectam o antes solto... Captei do quintal em casa...

Por Rafael Belo

Chove em uma segunda bipolar na felicidade química do fim de semana terminada antes da manhã. Raiva em dia. Dizem ser ruim sentir raiva, esta ira controlada com total necessidade de ser descontrole. Um saco de pancadas, um desabafo algo para esta imprescindível energia irada se esvair. Quando nossas crenças encontram o chão, nosso rosto vai junto e chafurda nos detalhes omissos dos dias de trabalho. Parecem correntes da decepção tentando eternizar este momento obrigatoriamente efêmero.

Uma angústia premonitória da quebra daquela insistente ideologia falsificada nas atuações atuais. Parece mais uma vez uma perda de sentido na profissão, no trabalho e claro, a constatação: nada mudou. Certo, nós mudamos. Aprendemos um pouco, mas voltamos às valas dos nossos desejos nobres ridicularizados pelas grandes corporações. Dificilmente o desânimo deixa de se manifestar. Então, vem o pior. Não foi a vida nossa decepção... Fomos nós.

Temos de nos livrar deste sentimento. Por isso a vontade de largar os afazeres momentâneos e ir de encontro à chuva - nostálgica e eterna catarse dos momentos nevrálgicos das nossas escolhas. É permitido fechar a cara como o tempo se fecha lá fora, mas se amargurar é perder todo o potencial e denegrir o próprio caráter em prol da nossa parte maléfica... Dos maus pensamentos maculando a mente sem aviso prévio. A vitória diária é não ceder nas ações, os sentimentos pesados a nos atracar em situações adversas.

Com a raiva em dia, podemos ver o cardápio dos próximos passos. Respirar fundo todas às vezes necessárias, contar nos números, esvaziar a mente, se livrar das besteiras possíveis impregnando a mente a carregar seus mais próximos consigo. O clichê da vida que segue, então toma conta e a segunda continua chuvosa até raiar o dia com a vontade contínua da chuva em nossa vida vir a nos molhar por completo para limpar toda a mágoa instantânea e levá-la distante.

5 comentários:

Jamylle Bezerra disse...

A iagem,sozinha, já fala. Mt bacana Rafa. Boa semana pra vc!!!

La Sorcière disse...

Rafa, infelizmente sou uma pessoa meio "raivosa". E confesso: prefiro ficar com raiva do que me sentir magoada. Acho que a raiva protege em alguns momentos.
Bjks
Alê

Celsina disse...

Rafa, sou uma pessoa bem bipolar, no instante que estou feliz com todo mundo meu humor se altera inesperadamente. As vezes dou alguns ataques explosivos mas sempre me arrependo, hoje prefiro tentar ficar na minha, e como você disse, respirar fundo, contar... Porque depois, como se tivesse sido lavada pela chuva, toda a minha raiva se esvaia.
Beijinhos! =)

Cel.

Deise Anne disse...

engraçado como a raiva nos faz dar passo adiante... nunca volver!

Rafael Belo disse...

obrigado Jamy querida;

sim... o prolbema é permanecer nela Lelezinha bela, beijos;

que se esvaia, adorada Cel, beijos;

volver jamais, bela Dezinha, beijos.