quarta-feira, setembro 15, 2010

Diluído em condensões

(8 quantos reflexos têm uma face concentrada em uma mesma imagem dispersa? - captei nesta quarta cheia - versos inspirados na poesia Diluição de Deise Anne do poesia do tempo *ps: esta foto não é montagem, a tirei desta maneira)




De repente tenho de me tornar quem sou
e me empurro com um sorriso malfeito
para um debate em mim com meus eus condensados
minhas escolhas não feitas meus eus paralelos
aqueles reflexos de quem quase sou
[Eu mesmo]

minhas outras dimensões diluídas me provocando
provando o erro de ser apenas um pouquinho de mim
degustando o medo tão novo e verde, de oferecer as faces ao público
de ser eu futuro de mim mesmo sem arrependimentos
conjugado com coragem e olhos fechados no sorriso aberto
[Eu sou quem sou]

Rafael Belo, às 23h59, 13 de setembro de 2010.

5 comentários:

Deise Anne disse...

Adorei o texto e a foto, Rafa!
Você criou um diálogo do meu texto com o seu.
Que bom poder inspirar sua criação.
Ótimo finalzinho de semana.

Beijos

Celsina disse...

Oii Rafa querido!

Que texto! =D Adorei... mas ele não é só pra você, acho que todo mundo tem, como você mesmo disse: "eus paralelos". E muitas vezes segue pensando dessa mesma forma.

E a foto ficou mesmo incrível!
Beijão!

Jamylle Bezerra disse...

O medo, o receio e as explicações para o "ser quem tu és"...

Imagem e texto se completam, conversam...

Boa semana Rafa!!!

Tathiane Panziera disse...

Oie. Briguei comigo mesma hoje.
Tava me achando única. Mas, não estou mais. Pelo visto brigar consigo não é minha exclusividade.

[Eu reli meus tuítes mesmo assim passou batido, o sono diminui a capacidade de funcionamento do meu cérebro]

Bju
Boa semana

Rafael Belo disse...

Sempre inspira algo suas inspirações De linda, obrigado;

Querida Celzinha, sempre é universal quando toca rsrs... Muito obrigado pelo carinho;

agradeço Jamy, bjs linda;

É Tathyta querida rs o sono sempre diminui a racionalidade rsrs Conflitos internos são precisos, paz eterna não beijos.