quinta-feira, dezembro 23, 2010

Fazei seu pregar e pisai firme

*(Há algo escuro criando uma dimensão cinzenta entre as tonalidades de nós mesmos... Captei há uma semana em busca de um raio solar final)


por Rafael Belo
Há um movimento, estou certo, de inconsciência coletiva para fazer tudo ao mesmo tempo. Menos antes da 5h da matina, mas tirando este horário não há escapatória. Se você pensa em sair mais cedo de casa lá está o congestionamento te esperando. Se acredita em sair mais tarde ficará engarrafado da mesma maneira. Caso almeje ir ao supermercado – este realmente – não existe uma hora sequer de vazio ou rapidez. Filas e filas sempre nos aguardam em qualquer esquina. Talvez haja um tamanho vazio de pensamento a nos fazer pensar a mesma coisa e agir do mesmo jeito enfadonho de reclamar daqui e dali, buzinar lá e acolá e xingar impacientes de repertório chulo e limitado.

Parece haver um ar de perdidos na noite, no dia, na madrugada, na tarde por toda manhã seguinte... Como se uma cidade inteira passasse a madrugada on-line totalmente ligada em coisa alguma. Assim de um dia para outro a criança vira uma adulto infantil, às vezes não nos atos, mas na forma de ver o mundo e de raciocinar. A adolescência se estende porque não deixa de ser infância... E lá vem de novo a ideia de eterna juventude com os cosméticos e cirurgias a preços acessíveis ou simplesmente parcelados por ‘uma curta eternidade’ sempre aos atalhos para não cansar muito, não pensar demais, não suar em demasia...
Invoca cada fala um silêncio irritante não o apaziguador e necessário pelo bom senso. Aliás, dizem este ser o item mais procurado para presentear no Natal e ser a promessa mais extravagante do Ano Novo... Bom senso cadê tu? É um ritual de uma rotina de excessos... Então, você se vê obrigado a ser atacado por guerras de egos constantes disfarçadas de conquistas e vontades e, no entanto, fazem um barulho de roedor invasor e despencam sem perder a pose claramente em ruínas naquelas entrelinhas da expressão do tempo maquiada. Assim é possível dizer: "O nada move esta situações de cúmulos acumuladas..."

Chega o Natal bem no findar de sexta-feira. Por um Papai Noel símbolo de gastos e fartura é neste momento – apesar das tentativas de fuga e reclamações claras – da família se reencontrar, dos amigos conseguirem se rever, das barreiras serem quebra e a esperança renascer... Comemora-se por deslocamento de tempo o nascimento de uma Figura de Fé, um Homem exemplar cujo caráter nunca poderá ser questionado. Mas o mundo parece ser bem brasileiro e recorrência a fé vem mediantes de uma conquista pessoal... Mesmo assim, há um movimento, estou certo, de consciência coletiva para fazer cada quintal um lugar melhor.

3 comentários:

Jamylle Bezerra disse...

Passando pra desejar um Feliz Natal Rafa!!!

Beijo

La Sorcière disse...

Rafa querido:
FELIZ NATAL!!!
Muita luz, paz e harmonia!
Bj grande,
Alê

Dora disse...

Rafael, meu querido Rafael, sempre tão gentil lá no blog... passando pra te desejar coisas maravilhosas para 2011 e que eu possa (isso eu desejo a mim mesma) ser mais presente no blog (neste e no meu, claro...rs)
Um cheiro grande e fica na paz.