sexta-feira, fevereiro 04, 2011

Entre o não dito


(*O que há na tela fantasma da televisão - captei há dias na sala da minha namorada)

Respira o dia minha respiração sem muitos movimentos
na medida da tranquilidade do silêncio de uma manhã não iniciada
ainda antes dos primeiros raios solares, a expectativa do sol renascer
ainda antes do abrir preguiçoso dos olhos, os resquícios da noite em sonhos
sem ao menos espreguiçar, tudo se estica no bocejo começado

Farfalhar quieto da cama irrequieta, passos não dados na casa indesperta
sons iniciais da rua ainda fresca, mudez insone dos dormentes do dia
nada muito alerta além de um arrastar indesejoso  no indecoro da possibilidade de dormir mais
mente vazia, barriga roncando, minha respiração sem muitos movimentos respira a manhã igual
qual será o calendário adequado do organismo quadrado depois de tanta luz artificial?Quem esta dormindo, afinal?

12h33 (Rafael Belo) 04 de fevereiro de 2011.

3 comentários:

La Sorcière disse...

Muito lindo =)
Como sempre, vc faz as palavras ficarem mágicas juntas!
BJ

Déia disse...

Esses barulhos matinais....

Saudade de vc!

bj

Rafael Belo disse...

São teus olhos e tua profundida, Ale querida, obrigado bj;

Déa, bons barulhos e melhor ainda poder escutá-los, saudades de vc tb bj.