sábado, novembro 19, 2011

Nos limites da memória


A trilha sonora mais uma vez é O Teatro Mágico, 'Transição' -do CD A Sociedade do Espetáculo

*(A pequena Panda na vastidão de seu mundo se confunde com a natureza e a natureza se confunde com ela) Foto: Rafael Belo
Por Rafael Belo
Não era a primeira vez. Mas, já não acontecia há uma vida inteira. Mesmo assim sob suas unhas estava uma molhada terra vermelha, suas mãos estavam cheias de cortes e seu pijama do avesso parecia retalhos não costurados. Seu sonambulismo atacara novamente neste fim próximo. Aos 93 anos, firme com pouquíssimas rugas, sua memória falhava ao tentar se recordar da última vez... Até que... Sentou-se. “Meu Deus! Ainda era uma adolescente quando meus pais morreram e acordava noite após noite em busca das minhas referências e ao voltar da minha consciência estava com as fotos deles nas mãos...”

- Ah, Asharo Gen... Qual a busca do seu inconsciente agora? Vou voltar para casa e esperar minha memória recente fazer o mesmo, disse para a madrugada iniciada.

Descalço. Estou descalço. Não só sinto o chão, mas a vibração do silêncio urbano. E... Será...? Será que se eu não piscar não perderei mais nada? Desta vez minha calma não vai mais me abandonar. Não terminarei medicado ouvindo desconhecidos dizendo me conhecerem e debilitarem meu tempo programando minha vida como um microondas apitando miolos aquecidos. Não! Sei e não me sinto sozinho. Agora é parecido... Mas... É outra coisa... Tem a ver com... Quem é você?! Por que estou tremendo tanto...

- Quem é você?! Não se aproxime. Por que não o escutei se aproximando e..., Asharo suspirou profundamente virando o rosto para frente.

Não havia ninguém. Vou fechar os olhos, abaixar a cabeça e olhar novamente. Pronto...! Era novamente meu passado longo me perseguindo em peças noturnas. Nestes meus passos ecoando... Nossa... Eu fiz todos estes buracos na terra?! Por isso tanta dor nos músculos. Não conseguirei competir amanhã. Nada de piscina enquanto eu não me resolver. Há tempos eu não era um mistério... Ah, as mulheres adoravam este meu ar, meu olhar... Chega de divagar! Tire o sorriso bobo do que já foi e se concentre por um tempo.

O que é isso pesando no meu bolso? Bolso? Desde quando meu pijama tem bolso?!

Que frases são estas na minha mente: ‘ Preservar coragem em transição’, ‘Desvalidar o improvável’... Com certeza são versos de alguma boa música. Devo estar dormindo...

- O que este sonho queria dizer..., foi retórico Asharo enquanto caminhava na escuridão de seu chalé até a sacada para procurar as respostas no silêncio. Aos poucos foi balançando a cabeça afirmativamente e abriu um sorriso a não mais sair de sua face.

Chega de fugir. Vou voltar. Meu pé... Ah, Danpa, minha fiel Danpa... Vai voltar comigo para a civilização e a conhecerá pela primeira vez, mas ninguém acreditará na tua inteligência e idade.

Asharo fez as malas e começou a descer as montanhas. Uma pontada atingiu sua alma e ele percebeu ser Danpa a causadora. Ela ficara nos limites das montanhas o encarando e virando a cara em diagonais. Asharo esperou as lágrimas e a compreensão escorrem. Não posso voltar... Certo? Nem para te abraçar... Devo seguir. Me lembrarei de ti?

Quando Asharo seguiu seu caminho. A incrível cadelinha Danpa, que não crescera e não mudara por todas as nove décadas ao lado de Asharo, cavava buracos todos os dias em busca do seu dono e o reencontro entre eles.

4 comentários:

Luna Sanchez disse...

Rafa, cheguei, tarde mas cheguei...rs

Só que, de novo, não consegui escutar.

Envia pra mim, por favor, moço querido? Não sei o que se passa.

=\

Beijos, volto pra comentar depois de escutar, combinado?

Prof. Dionatans Godoy Quinhones disse...

visitei e deixei assinatura no livro de visitas..rs..
abraços

Luna Sanchez disse...

Mais do que uma leitura, uma interpretação emocionada, com direito a suspiros, entonações diferenciadas e charme...

Ui, Rafa...Tu tá cada vez melhor nisso!

=D

Adorei, adorei!

Beijos, queridão.

Rafael Belo disse...

Nd digo senhor Dionatans rs mas valeu a visita;

Queridíssima Luna! Que bom que adorou eu adorei tu ter adorado rs obrigado linda, bj.