domingo, dezembro 11, 2011

O Oito Deitado da amizade


Áudio de O Oito Deitado da Amizade -  Trilha Amigos pela fé - Anjos de Resgate


(*Na calada da noite a lua se movimenta e apesar do negro céu aparecer é azul e tudo se move e faz barulho) Foto: Rafael Belo


por Rafael Belo
“Sonhei meus sonhos em palavras declamadas e elas foram lapidadas arqueologicamente...” Havia uma redoma nebulosa com diversas faces conhecidas ao redor de um Oito Deitado, mãos se uniam e formavam um sol de raios espalhados. Nem todos se conheciam entre si, mas eram meus amigos, eu conhecia a todos e todos me conheciam. Cerca de 13 pessoas segurando um o dedão da mão direita da outra falavam boas palavras adjetivadas da reunião prestes a terminar. Ao fim, o sol foi sacudido e os raios se liberaram acima das cabeças sobre o grito uno de ‘infinito’.

Era a primeira reunião do Oito Deitado. Gabvi havia encontrado por acaso o artefato há um ano em um parque da cidade. Ele viu um brilho sob a grama reluzir diretamente em seus olhos e decidiu verificar. Sob a grama molhada, após a chuva seguida de três horas, havia barro ainda com água.  Não era sua intenção ir ao parque, mas há um tempo ele reuniu todos seus amigos naquele local de diversos estados e quando deu por si, voltou após dois anos. Só percebeu sua imundice ao estar praticamente dentro de um buraco. Olhou ao redor e viu dezenas de pessoas o cercando... Imperceptivelmente guardou o artefato no bolso e fingiu aos estranhos ter encontrado a suposta aliança perdida...

Estava cheio de barro e foi ao banheiro mais próximo. Nem havia terminado de se lavar quando a primeira ligação o assustou “ah, ah ah...” começava a canção de seu celular. Nos próximos onze meses, outros onze quase irmãos o surpreenderiam da mesma forma. Ele ainda pensava em como fez aquele buraco e encontrou aquela pedra desconhecida com o Oito Deitado. Quando Os Amigos – uma das denominações a perpetuar esta aliança reforçada - fizeram novo contato voltando a fazer parte de seus caminhos. Eram 13 contando com Gabvi.

Todos relataram sobre um chamado interno silencioso, porém pulsante.  A vontade de ajudar sempre o próximo começou a orientar o dia de todos os presentes. Um sentimento de irmandade era implacável. Eram diferentes, eram iguais e a partir deste dia seriam amigos de ventre. O desejo em comum de espalhar a fraternidade criou uma aliança forjada pelo tempo e um sobrenatural incondicional. Um Oito Deitado idêntico em 13 alianças guardado por milênios dentro do artefato não parecia intrigar ninguém. Eles os vestiram no anelar e dedo médio e saíram com a intenção de espalhar os sentimentos de verdadeiros irmãos.

6 comentários:

Celsina disse...

Oi Rafa!!!
Ha, dessa vez eu ouvi seu texto. rs =)
Adorei Rafa! Ler e ouvir e ainda com a musica no fundo...

A imagem nem preciso comentar, você capta sempre o momento exato.
Beijos! ^.^

Liziane Berrocal disse...

Eu tenho o "oito deitado" tatuado. Fiz junto com minha "Marida". Temos a mesma figura no mesmo lugar.

É um símbolo forte...

Adorei o texto!

José María Souza Costa disse...

Rafael, esse seu jeito, academico de escrever, me fascina. Um dia escreverei assim, tão belo e tão "cante" semelhante a voce. O seu texto, é simplesmente avassalador.
Parabens, e felicidades, sempre

Rafael Belo disse...

Oo querida que bom Cel! Me deixa feliz rs;

Lica! É verdade. Fico feliz que gostou;

Obrigado pelo envaidecimento, José Maria, o que desejas desejo em dobro pra ti.

Luna Sanchez disse...

O nascimento de uma "seita"? Não era essa a palavra que eu queria usar mas não há uma melhor.

Bem legal, Rafa, gostei.

Um beijo.

Rafael Belo disse...

é, sei que gostaria de usar comunidade, grupo, ativistas rs obrigado Luna querida!