quarta-feira, dezembro 14, 2011

Seus suores sagrados


*(Segredando o fazer inesquecível de exaltar o entrelaçar dos corpos e almas) Ft: Rafael Belo

Seus suores sagrados saem de ti em sacrilégio
sem suportarem seguirem, secam ao calor corpóreo
gritando prazer poro por poro dos roçares geniais do privilégio

prevalece o fazer em arrepios constantes do ofegar provisório
dos gozares Kama Sutras da cama procurada do olhar dos hemisférios
movendo-se ao encontro dos sexos nos tremores ultrapassando o esquentar dos óleos

escorregando o encaixe no ritmo frenético do vapor exalado no revelar dos mistérios
fabricados da entrega a consumação do Amor em oferenda a vida subindo em incensório

esgotando a sensação de miríades de sentidos sequenciais  movendo-se sem parar
em seus suores sagrados sacolejando os universos nas chuvas cadentes de estrelas
levando nosso ar.

Rafael Belo às 11h56 de 13 de dezembro de 2011.

6 comentários:

José María Souza Costa disse...

Rafael, ainda bem, que a Alma, não umidece as mãos,é o coração, que levanta a penca...rsrsrs
Amei, o seu poema.
Felicidades, sempre

Naty Araújo disse...

E levou o ar mesmo, inclusive o meu.
Nooooooossa... que puro, que forte, que intenso... adorei *--*

Beijos, Belo... não te disse que passaria aqui hoje? Pois bem... 23h50 rrs

Luna Sanchez disse...

Um oferenda do querer.

Lindo, lindo!

Beijos, Rafa.

* Estava ótimo o café.

;)

Rafael Belo disse...

olha o subjetivismo kkkk Boa José Maria! Obrigado;

Naaaty! Que Bo mque voltouuu faz falta pacas rs registrado ainda! Reverenciado linda;

Rs humm linda, lina querida moça querida; Guria sempre com as reticências compreensiveis agradecido 'ad eternum' rs.

Suzana Martins disse...

Em suas cadências, num imitar de estrelas, vou suavisando o sentir num amor sem fim.

Lindo e lindo, meu querido!

Demorei, mas cheguei! rs

Beijos

Rafael Belo disse...

Que bom que chegou Su aainda lhe esperava rs obrigado por vir; venha sempre beijos.