sábado, novembro 17, 2012

Enfim até o fim


Enfim até o fim
Enfim chegou o aroma da vida
assim como a intensidade da explosão das estrelas
laços se enlaçaram no cume da Alma sem algibeiras
em marfim vivo na proliferação da base do mundo

Constelações migraram para o raro brilho do Amor
os sims foram ditos e reverberaram para o mais profundo

haveria dor, mas onde não há o calor canalha
haveria um fundo, mas cada vez mais fundo seria cavado

um ponto seria marcado até mudar para reticências
e a acentuação do coração só seria acertada, enfim, até o fim
[ dos Tempos].
(Rafael Belo, às 16h03, segunda-feira, 12 de novembro de 2012)

2 comentários:

José María Souza Costa disse...

Olá, Admiravel Rafael

Estou cá, a lê, o seu belissimo texto, e afogar-me, em sua sabedoria.
A escrita tem o seu contentamento com a sabedoria. Parabens, pela textualização. Espero-te.
Meu faceboook é:
www.facebook.com/blogdjosemariacosta

Abrss

Rafael Belo disse...

obrigado José Maria! Deus o abençoe!