sexta-feira, novembro 02, 2012

Repetindo ontem


Repetindo ontem

E o amanhã terminou sem o hoje chegar
na emoção de ontem se repetir
o fim se antecipou antes do começo estar lá

não havia como prosseguir
estando todo o meio jogado pelo ar

a inteligência se perdeu no recheio de persistir

soletrar ra-ci-o-ci-nar no vir dos últimos suspiros

suspirados já eram, foram absorvidos pelo vazio
do conteúdo da superfície da poeira dos espirros
salientes das saliências do umbigo de máscaras do martírio

egoístas da ignorância a ignorarem a morte da razão.

(às 11h34, quinta-feira, 1º de novembro de 2012, Rafael Belo)

4 comentários:

La Sorcière disse...

Lindo, Rafa. Poesia, conto... vc manda bem em TUDO!

Rafael Belo disse...

Obrigado Lele rs o incentivo é muito grande! ótimo feriado prolongado! beijos

socorro disse...

Interessante, lindo...rítmico..você é abençoado!

Rafael Belo disse...

obrigado mãe!