quarta-feira, março 27, 2013

Adiantar


Adiantar

Vento frio no fim da tarde quente
emaranhada na noite chegando na cerca
amparada pelos anteolhos, nos olhos indigentes
ausentes acerca... Dos acumuladores de perdas

ao olhar em frente na esperança do senso voltar
sem se confundir na pressa do caminho, na pressa no passo
no protesto falso, de no espelho perder o olhar

e de quê adianta o vento soprar quente se só escurece para disfarçar?

se quem estava aqui, lá fica até a tarde dizer ser manhã
no amanhã de novo pasto verde- manhoso, vendo seu reflexo jocoso, seguir o mesmo tiquetaquear.

(Rafael Belo, às 00h42, terça-feira, 27 de março de 2013).

4 comentários:

Mateus Medina disse...

"e de quê adianta o vento soprar quente se só escurece para disfarçar?"

Boa pergunta. Boa reflexão.

Aquele abraço

Mary disse...

Pois é, do que adianta?

Uma bela reflexão!

Bjo Rafael, excelente sábado pra ti.

José María Souza Costa disse...

Rafael, eu vim foi agradecer a sua permisão por ter, postado em meu blogue, um texto Vosso. Ès tu, um escritor, qualificado. Neste dia de domingo, desejo-te: Uma páscoa abençoada, harmoniosa e feliz. Abraços.

Rafael Belo disse...

Obrigado Mateus e Mary sejam bem-vindos.
Meu caríssimo José Maria, muito obrigado mesmo. que todos os seus dias sejam de Páscoa!