quarta-feira, novembro 18, 2015

Sobrevivente (miniconto)


Talvez Jess tenha andado em círculos sem perceber. Estava tonta, mas não era este o motivo. Sentia-se sozinha... Não confiava em ninguém, mas queria manter as aparências e agradar sempre. Deixava de incentivar quem precisava e todas às vezes ela sabia... Nada era bom o suficiente nem merecia realmente algo dela.

Só não perceberia suas atitudes a tempo. Atordoada, Jess parecia encontrar novos lados para olhar. Se todos os fogos de artifício do mundo estivessem estourando ao mesmo tempo ao redor de um filhotinho de cachorro não seria possível comparar a como se sentia Jess. Não tinha entendido ainda o estouro. Estava cheia de escombros, sangue e, provavelmente, pedaços de várias pessoas.

Não estava escutando quando o mundo explodiu. A ironia do assassino em massa seria noticia assim que encontrassem Jess. No momento da explosão tocava: Foi uma bomba relógio que explodiu / Deixou em mil pedaços... O Maior Encontro Sertanejo Moderno foi um ataque planejado. Jess estava próxima da imensa caixa de som. Por milagre, depois de um estrondo ensurdecedor, ela só ouvia o silêncio e a escuridão.


Não sabia explicar nada, não via ninguém e angustiada não soube dizer como conseguiu sair de dentro da caixa de som ou como esta mesma não a matou. Seu último pensamento antes de seja lá o que foi... Foi exatamente: ele não está merecendo... Enfim, lá no primeiro parágrafo ela estava atordoada, andando em círculos e assim continuava. O mundo iria se unir temporariamente novamente enquanto ela estava desnorteada e sem audição seguindo perdida tropeçando em escombros, corpos e ilusões. Se sentia alguma coisa era ser sobrevivente só precisava descobrir do quê?! 

Um comentário:

Maria Belo disse...

."..andando em círculos..."....vivemos andando em círculos,somos sobreviventes!