terça-feira, agosto 30, 2016

Cem tons de noite



sem sons sãos enlouquecem enquanto escutam
silêncios saindo sussurrantes aquecem arrepios arrebatadores
alienados abafados quando angustiantemente amputam
latidos latentes literalmente exaustos executando exaustores

cobertores caem constantemente distraídos daqueles que disputam
disfarçadamente doutrinados ditados previsíveis por periódicos protetores
na noite navegante nada fazem formalmente furtam

a humanidade ainda acordada no fundo dos corações lutadores
confrontando o sono temem a versão beta instalada e surtam

silenciosamente se sentem incomodados sem saber serem sabotadores sabotados.

(às 22h44, Rafael Belo, segunda-feira, 29 de agosto de 2016)

Um comentário:

Maria Belo disse...

Gostei muito,principalmente da frase ....sem saber serem sabotadores sabotados!