segunda-feira, agosto 29, 2016

Como se sente?


À noite os cães ladram e uivam, mas só se você estiver acordado, enredado em tantos pensamentos a ponto de nem sono sentir ou simplesmente negligenciar a necessidade de dormir. Eles não param. Latem perto, longe, depois voltam como uma sinfonia perturbadora para quem tem sono leve, não é o meu caso, mas é só na hora do descanso, naquele minuto no qual fechou os olhos sem perceber e digitou palavras indecifráveis é que a latição começa... Quando não são gatos se reproduzindo no telhado...

Talvez você se irrite antes de dormir de novo, mas é capaz de acumular tantas intrusões ao seu espaço calado a ponto de estourar pelo conjunto da obra a qualquer momento. É preciso falar antes de transbordar um oceano e esperar todos se afogarem ou, simplesmente, extravasar de alguma maneira, afinal gatos não vão parar de se reproduzir por nossa causa e metade das funções dos cães é segurança (lê-se latir), é praticamente a razão de viver deles. Então, temos obrigação de explorar outras formar de silenciar.

O silêncio necessário para nós somos nós os criadores, produtores, coadjuvantes e protagonistas, inclusive das reviravoltas culpadas por nos deixar andando em círculos barulhentos... Não! Espere! Nós somos os culpados – a não ser que sejam sucessões de acidentes! Ninguém vive nossas vidas, aliás, sua vida e minha vida, ou só somos indivíduos e particularidades quando nos convém? É, somos convenientes quando precisamos, somos agradáveis quando queremos, mas podemos ser bem inconvenientes quando algo não nos agrada.


Desagradável como o famoso ditado (im)popular “... Mas se pisam no meu calo...” Pode pisar no calo do outro, chutar a cabeça do próximo se – e somente se – não me envolverem? É devíamos pedir licença para tentar testar uma nova versão beta de humanidade, mas só enquanto não encontramos a nossa porque neste período temos de aprender a aceitarmos os sons ao nosso redor mesmo se nos incomodar. De outra forma como podemos pedir silêncio se nem sabemos dizer como realmente nos sentimos?

Um comentário:

Maria Belo disse...

....pode pisar no calo do outro,....fácil...muito bom!