quarta-feira, janeiro 11, 2017

Tráfico de torturas (miniconto)




por Rafael Belo

Sauna corria pela vida. Usava todas as forças ainda restantes com razão. Era a mente mantendo o corpo em colapso, ativo. Fugia em busca de proteção. Foi torturada até enlouquecer. Ela só pensava em sobreviver. O instinto natural, animal, que ela nunca teve... Nem quando criança chorou. Já nasceu com a face fechada e os olhos buscando algo. Era uma exceção. Ainda duvidava de isso ser bom. Só a fez mais dura e é dureza passar os anos assim. Mas, a vida não era a pura hipocrisia que seu pai falava? A vadia que a mãe acusava de ter acabado com ela?

Sobrevivi até aqui com estes pensamentos e acabei sendo torturada por uma horda de malucos querendo o futuro, querendo a vida eterna... É bom pensar em outra coisa para esquecer a dor do corpo... Mas, não sou maluca também? Como culpar a vida pelos meus caminhos? Se eu sentar agora – provavelmente vou morrer – a vida vai continuar, independente de mim... Vou ficar reclamando? Acusando? Xingando? Acumulando raiva? Vou parar de viver só para me vingar? E depois? Nossa! Como está quente!!

Não importa o tipo de agente que fui? Ninguém consegue ouvir nada que eu não queira dizer! Não é que a vida seja traiçoeira e quando tudo parece bem... Bumm... Não é eu ser mulher o motivo... Não temos controle... Mas, não vou me permitir ficar com raiva, a não ser agora... Até conseguir falar com meus colegas... Preciso colocar este ódio e este medo para fora antes disso me derreter, acabar comigo, a dor acabou me revelando, me fazendo chorar... Isso foi raro, mas não vou agradecer pela tortura... Tudo começou com uma simples desconfiança, uma intuição e não é sempre assim?

A investigação acabou comigo sendo torturada, mas só minha palavra não basta e – querendo ou não – vai ter o machismo, vão falar de histeria, vão questionar minha certeza... Mas, passar por adolescente e ser descoberta foi arriscado demais... Traficando a infância, vendendo a juventude e comprando adultos defeituosos. É um “belo” mercado e eu achando que acabaria com ele... Meus supervisores vão me trucidar... Ah, mais do que já fui é impossível. Tinha certeza que estava no Centro da cidade e a cidade não chega nunca... Minhas pernas começam a falhar!!

Um comentário:

Maria Belo disse...

Tortura......vários tipos de tortura vivemos hj!