sexta-feira, março 31, 2017

Eu sou o momento (miniconto)




Por Rafael Belo

Este é qual? O vigésimo? Meu Deus! Caiam fora! Deixem-me em paz! Não vou permitir me tocarem, me acuarem, me abusarem... Não estou atrás de nada aqui. Só quero me divertir só. Eu estou bem sozinha. Quando vão entender isso? Claro! Não acreditam! Não há motivo para acreditarem, mas não preciso disso. Não peço para acreditarem em mim. Nem quero. Isso levaria àquela intimidade... Não darei intimidade pra ninguém! Só porque fui educada? Um oi não é porta de entrada para nada. Quanta voluntariosidade e carência? Estou aqui justo para não escutar nada e vem gritar no meu ouvido...

Não! Não quero! Estou intensa. Total como sempre, mas consciente pela primeira vez! Capaz! Vou vir no pub lotado para me divertir, ouvir o som... Ok! Posso até sorrir para um “crush” ou outro, dar a entender algo, mas só à distância... Tem uns bonitinhos outros mais ainda, mas tem cada esquisito... Uns beijos podem até rolar, mas eles sempre querem mais... Nada de sexo casual. Já passei desta, estou em outra “vibe”. Vou me curtindo e vendo os acomodados se incomodarem. Dou risada mesmo e daí?! Pior ainda acharem eu ter rido deles... Quem são mesmo?

É tanta importância dada a si mesmo... Há tanta gente por aí, meus queridos... Guarde esta arrogância, por favor. Certo, meu nome não é nada humilde Marilin Deusa, mas não devo nada a ninguém nem fico esnobando, porém se me chamarem de louca... Vou concordar! Pensando comigo mesma tudo isso e ainda cheia de caras e bocas... Nada a declarar! Erra-me vai. Cuida da sua vida. Não! Pode cuidar da minha e me diz porque pode ser... Eu vivo distraída, mas estou intensamente focada em uma coisa de cada vez! Meu pensamento é estar comigo na melhor convivência. Vou postar este texto e ainda vão achar... Vão garantir... “Ah, Lin, você não precisava ter postado...”.


Sabe de uma coisa? Precisava sim! Mas, espera não postei e não preciso de mimimi na minha cabeça agora. Vou parar de ver o futuro tanto a me enrolar e voltar para meu agora para dançar, dançar, dançar... Vou repelir sim e podem me tachar vou de não tô nem aí. Se eu tivesse feito outras escolhas estaria questionando outras escolhas feitas... Já li isso em algum lugar nestas redes antissociais... Mas veja só MA-RI-LIN nada de celular, nada de wi-fi, de dados, estou apenas aproveitando o momento. Eu olho para cima ao ar livre... Eu sou o momento!

Um comentário:

Maria Belo disse...

Eu sou o momento!!!!