segunda-feira, abril 17, 2017

não depende só de nós



por Rafael Belo

Há um pássaro pousado lá fora em um tronco da cerca de arame farpado. Ele me olha nos olhos. Posso sentir. Ele pode voar, mas continua ali encarando. Não depende só de bater as asas. As milhares de penas leves, flexíveis, duras e resistentes são os principais motivos, mas a aerodinâmica do corpo, o esqueleto, a musculatura, o modo de vida e o habitat ajudam a ignorar a gravidade. Nós não somos tão diferentes. Estamos pousados dentro de nós voando engaiolados pelo detalhe do plural na frase: a gente pode fazer dar certo! Aprendi! Não bastam só palavras e vontades para dar certo. O tal do certo também pode ser errado.

Durante muito tempo eu fiquei voando em círculos em mim mesmo usando esta frase de efeito. É claro, eu posso fazer dar certo. Mas quem é este certo? O meu certo é o seu certo? Não são suficientes experiência e conhecimento. Não é mais agradável voar sem rumo voltando para onde é seguro. Há tantos fatores ajudando o voo acontecer, mas precisamos pousar, descansar, entender ao menos nós mesmo antes de voar novamente. Querer é um belo de um poder, porém se há outra pessoa envolvida dois quereres se bicam um bom tempo até perceberem não pagarem o preço da liberdade.

A gente faz dar certo não é nem meia verdade. É você ter vontade de tudo acontecer da melhor maneira possível (para você mesmo). É uma forma de controle ou negação porque se estamos falando de Amor se passaria em nós aquela liberdade, aquela vontade do melhor para o outro, independente do nosso querer. Por isso, é uma verdade por inteiro apenas quando depende só de nós. Eu já acreditei nesta frase. Já o disse. Podemos fazer dar certo se a gente quiser...  Era quase um mantra. No entanto, temos sempre algo quebrado em nós negligenciado, ignorado, deixado nas sombras como um hematoma maquiado no olho, disfarçados nos óculos escuros.


Se não estamos nos sentindo bem, a gente precisa voar e ser independente sem qualquer tipo de cobrança. Este é o motivo de termos total confiança em nós mesmos. Fazer acontecer começa quando nos fazemos acontecer. O primeiro relacionamento é no nosso interior. Não podemos ir à onda da obrigação ou somos constantemente afogados quando levados para o fundo do mar sem nem perceber a morte do nosso ser. O meu objetivo é ser o passarinho amante da liberdade querendo amar alguém igualmente livre sem nada prender. Só vontade não faz nenhuma asa bater.

Um comentário:

Maria Belo disse...

"Só vontade não faz nenhuma asa bater." verdade!