segunda-feira, março 25, 2013

Acumuladores, exibicionista e nossos espelhos


Acumuladores, exibicionista e nossos espelhos
por Rafael Belo

Você já ignorou demais o quanto acumula objetos, sentimentos e pensamentos? Já percebeu a quantidade de carência ao seu redor o tempo todo e tudo isso espelhado de você? Independente das respostas o foco é o quanto somos acumuladores, o quanto nos exibimos, vestimos a arrogância, falamos dos nossos feitos e desejos e deixamos acumulado um rastro real e virtual confuso e misturado a tal ponto de nossos espelhos refletirem o reflexo errado.

Acumulamos lembranças desnecessárias e esquecemos o motivo de tê-las guardadas. Acumulamos os sentimentos reais (ou inventados), os alimentamos - mesmo quando a origem morreu, mudou ou nem importa mais – e achamos que no fim acabou. Acumulamos reclamações e esquecemos-nos de agradecer. Acumulamos tantas bobagens e vazios a ponto de ficarmos cheios de coisa nenhuma. O acúmulo nos enche e nosso senso de orientação se perde em frente às placas de sinalizações.

Mas os vazios são falsos porque os acumulamos e eles vieram de algum lugar aonde os fizemos palpáveis. Há muito na mente, no corpo, na alma e no coração. Este muito, na maioria das vezes, não nos serve como deveria porque quando o guardamos não soubemos ver direito, enxergar com precisão e ouvir o máximo. Mesmo assim, exibimos a perfeição e sabedoria de ser quem somos.

Quando olhamos no espelho a preocupação é quanto tempo passou. Rugas, marcas de expressão, caimento das roupas e a estética geral dos lamentos. Não olhamos nos nossos próprios olhos para ver se quem somos é o mesmo ser exibicionista do dia a dia. Qual é o reflexo que acumulamos e exibimos por aí se no fundo – a maioria de nós - queremos saber a opinião dos outros e suas aceitações?

2 comentários:

Mary disse...

Quantas vezes já me questionei sobre isso.

Acumulamos lembranças desnecessárias pra que?

Rafael, obrigada pela visita,gostei muito de estar aqui no seu blog.

Bjo

Anônimo disse...

MEU PERFIL...ACUMULO TD