segunda-feira, agosto 28, 2017

Nas curvas da mente feminina



por Rafael Belo

Nesta sociedade constantemente machista, a desvalorização e a falsa valorização fazem parte do cotidiano feminino. Você, Mulher, passa por provações diárias inimagináveis para os homens. O desrespeito é diário e a objetização é absurda. Basta levantar a cabeça para enxergar a relativização desta afronta cultural ao ser humano Mulher. A força, a inteligência, a fé, a desenvoltura, a satisfação consigo mesma no sorriso e a atitude exalam maior Beleza do que os traços físicos, as curvas do corpo, a coloração do cabelo e as cores dos olhos.  Enraivece-me ver este gênero masculino babando, cobiçando, cheio de más intenções (e somente elas) ao ver tu, uma mulher, sem te enxergar de fato.

As curvas do cérebro nos diferem dos animais “comuns” feitos de reprodução, sono, descanso, alimentação e morte. Não somos animais no cio desesperados por sexo disputando uns aos outros o tempo todo, obrigados a ter alguém, impossibilitados de sairmos sozinhos por gosto e vontade, cobrados a terminar a noite acompanhados. Mas, estamos falando só do ser humano Mulher... Tu, Mulher, é dona de si mesma – não há dúvida – o corpo é teu, não importa se estiver em total nudez (apesar do atentado ao pudor), o pior atentado é esta sexualização de todos os atos femininos. Não é porque tu aceitou em qualquer mídia social um qualquer que significa está afim dele, não é motivo para saliências, intimidades ou qualquer aproximação se tu o cumprimentar, olhar, oferecer uma gentileza...

Tu não precisas de um(a) ficante, um(a) namorado, um(a) marido, um (a) amante, um (a) amigo especial... Não precisas nem tem que sofrer para/por nada/ninguém...! Tu és o que quiseres, quem quiser, quando quiser, se veste como se sentir melhor, muda de opinião quantas vezes for preciso e sai sozinha sem ser perturbada sim (seria ótimo se assim fosse). Não é puta, prostituta, garota de programa, pervertida, ninfomaníaca, tarada, galinha, piranha ou qualquer um desses absurdos ditos por aí. Tu sai com quantas pessoas quiser, se quiser praticar sexo vai fazê-lo.... Tu és livre.  Tu, Mulher, não é acessível se não quiser. A palavra “Não”, tem o mesmo significado de sempre. É uma negativa e pronto.

Tocar sem permissão é crime! Falar pejorativamente, ironizar, assobiar ou qualquer gesto ofensivo em relação à vocês, mulheres, não é permitido. Há machismo enraizado em toda parte. Infelizmente, é cultural. É aos poucos que esta violência acaba. E mais uma vez é preciso dizer: machismo não é o oposto de feminismo.  Machismo é patriarcal. Vem seguindo preceitos biblícos onde o homem é o líder, o pai de família, é absoluto enquanto a mulher é submissa e obediente. Não há diferença na inteligência (dado o fato de saberem da igualdade pode haver um pouco de superioridade aí para vocês meninas...), não há qualquer tipo de inferioridade. A necessidade do feminismo é evidente. Ele prega a igualdade de direitos para vocês, mulheres, e a libertação de toda esta opressão e padrão social limitando tudo que é feminino.


Todo mundo precisa de dignidade e ela precisa ser enraizada desde o ventre. A menina deve ser livre para se descobrir e ter consciência do que a aguarda lá fora neste mundo selvagem onde o homem pensa ser rei e a mulher parte de um inexistente harém (e assim somos incentivados desde o berço).  Há crianças, que serão mulheres, e têm a obrigatoriedade vital de saberem não serem frágeis em hipótese alguma. Há crianças, que serão homens, e têm obrigatoriedade vital de saberem que a mulher é igual a ele. Há muitas formas de driblar a testosterona masculina sem necessitar de um homem. A tua Beleza, Mulher - você mesma - está na tua confiança, neste agora e em um futuro possível onde tu possas andar livre sem se preocupar com quaisquer tipos de violência nem com a necessidade de reafirmar diariamente teu papel, onde  tu possas ter a segurança de ser simplesmente quem é e, apesar das dificuldades, mostrar todo o poder já existente aí: nesta mulher incrível que sempre foi. 

3 comentários:

Alice Mattos disse...

Ótimo!

Bruna Ricardi Buru disse...

A dor e a delícia de ser mulher! Amei seu texto!

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.