sábado, maio 08, 2010

Cafajestes

8 a intensidade natural da beleza sob a cerca a passando, a pulando, mesmo aos choque, tão elétrica... Tirei no fundo de casa registrando a bela invasora...


Eram três corpos no início sem fim
pela atenção de um, enfim virara dois
sem um seriedade por um lado e de um lado para outro,
havia a carne cafajeste nas entranhas dos cafajestes

em um encaixe corpóreo flamejante de gestos da pele
emaranhada a sensação da sensualidade rebolada
no suor da cama felada da felação da troca de línguas e genitais

nos gemidos suspirados na gama dos alfas alcançados
na pele respirando a outra pele no alfabeto sexual de ais
em compromissos fluídos nos fluidos do fim dos atos finais

às 21h44 Rafael Belo (folha de outono) 3 de maio de 2010.

6 comentários:

La Sorcière disse...

WOOOOOOOOOOW
Super HOT Rafa!
Afffffffff
Esquentou aqui ;)

Naty Araújo disse...

To falando que vc mora num paraíso e ainda fala que não.
Como vc é modesto... Isso é um show de espetáculo.

O texto é de arrepiar, heim, garoto?
Bela descrição, forte... com a essência do prazer mesmo.

Beijos, Belo. Linda semana pra vc.

Barone disse...

Muito bacana Belo.

Anônimo disse...

Sim, também eu já esbarrei com alguns cafas por aí...

Beijo.
Isolda.

Rafael Belo disse...

hauahau quentar é bommm kkkkkk Lelezinha :D

Obrigado Naty... Sei que foi este dos três o de seu maior gosto ehehe bjs querida;

valeu, meu velho abs;

está anônima is querida hehe... bjs

Naty Araújo disse...

Hahaha.. quem vê vai pensar besteiras ô rsrsrsrs.