segunda-feira, março 09, 2009

Ficou na curva

Veio a dor
Feito um rio seco
Onde as pedras não se acomodam

Rolam sobre o peito
Sem arredondar as pontas
Rasgando os gritos com ecos

Represa a sequidão do rio
Onde rola a dor em pedras
A empilhando no leito vazio

Rio de pedras
A me atirar primeira
Hipocrisia como a gota d’água

Há um desvio no rio
Rio que continua a doer
Dor que ficou na curva

22h14 (Rafael Belo) 08.03.09

2 comentários:

Isolda disse...

Rafa, a dor que parece talvez não seja. Já pensou assim?

Abraço.
Isolda.

www.isolda.blogger.com.br

Rafael Belo disse...

Costumo fazer este tipo de análise... QUando escrevo me ponho em todas as situações que consigo imaginar. Neste o tema é dor e ela ficou na curva... Beijos Is, obrigado