quinta-feira, abril 09, 2009

Espera

Há chamas nesta neblina úmida
Incendiando-me de cegueira

Há instintos, moral, dinheiro e o dever
De vê-los, sei o que fazer, mas o que farei?
Vago na neblina, em chamas

Minha voz, sem som e estou vago
Não vejo quem me vê, cegueira coletiva

Deixei-me lá, crepitando
No meio de todos, sou pensamento
Luz, vácuo, escuridão com pressa

E o tempo não esperou, ficou cinza
E não olhou para trás

14h45 (Rafael Belo) 27.03.09

3 comentários:

Tathy Panziera disse...

Cinzaaaaaaaa
Odeio!
Minha vida tá cinza!

Me empresta o lápis de cor?!

Sacoooooooooo

=/

Rafael Belo disse...

Vixi hehehe! Cinza é um bom tom, minha cara... Chova! Que tudo volta a ter cor! bjs hehe

Tathy Panziera disse...

É arco-íris!
É bem melhor que cinza!

hehehehe