terça-feira, fevereiro 09, 2010

Corpos estranhos

*Foto tirada com a chuva ainda moldada em gotas na beleza de um quintal

Corpos estranhos levantam as línguas em duelos
tortos pelo entender da fala tórrida estrangeira
ligeira no seu arrastar de consoantes vagas na vogais
estendidas na expressão a mais, insólita presença de nós mesmos
como estranhos corpos tomados em vazios copos dáguas
caídos transbordando o silêncio do nada módico
para um complexo sórdido de devorados devoradores de almas e mentes
em sons onipresentes de adorados adoradores adoráveis de um velho mundo em essências, de todas as língua afiadas desafiadas a adoção em corpos estranhos a própria estranheza da aldeia, presente, da pequena grandeza de falar igual e entender diferente, as diferenças.

23h12, Folha de Outono (Rafael Belo), 02 de fevereiro de 2010.

7 comentários:

La Sorcière disse...

Lindo Rafa... tão forte. Belo jogo de palavras:)

Bjks

A Língua Nervosa disse...

AMEI!!
a foto então...adoro fotografia!
:)

Rafael Belo disse...

Linda és tu Lezinha! Obrigaduuuuu aaa mas é imperceptível meu jogo de palavras eheh bj

thanks, girl|! Vivi, então somos amantes de fotografia hehe :)

Déia disse...

Falar igual, entender diferente... nossa, vivo muuito isso !! bj

Rafael Belo disse...

Não é Déa.... hehehe É por isso que precisamos conhecer MESMO as pessoas, não é? E perguntar por via das dúvidas hehe bj linda

Tathy Panziera disse...

Devo confessar que adorei a foto.
Não nego também que adorei o jogo das palavras. Valeu pelo eterno apoio.

Suas plaquetas e leucócitos voltaram ao normal?!

As minhas finalmente...

Bjux

Rafael Belo disse...

Opa! além da minha antiga resist~encia, agora com novo recorde ehuahauahau Que bom, Tathyta. Sempre apoiarei... Obrigado pelas adorações hehehe beijos