quinta-feira, agosto 29, 2013

Rastros

Rastros


Aquele amarelo-ovo variando para ouro ficou rosado no frio
e quando num arrepio era noite com o povo olhando para cima

no clima de festa do tardio inverno, era um inferno gelado
só se enxergava uma massa colorida, mas atrás dela havia mais

um reflexo de todo o universo nos diversos olhares
reunidos com um brilho intenso demais

dos olhos do universo, a Luz própria de um verso cintilava

extensão de tantos mundos enrolados

distante era uma só reunião 

de um lado estrelas novas, do outro rastros.

(às 19h19, Rafael Belo, quarta-feira, 28 de agosto de 2013)

4 comentários:

Cristina disse...

Preciosa entrada e imagen!
Gracias por tu encantadora vista, si no te molesta me llevo tu enlace para seguir tus publicaciones.
Abrazos miles, bello día!

Rafael Belo disse...

Le doy las gracias por seguirme . gracias Cris . son tres mensajes a la semana ( martes, jueves y sábados) con enfermedades crónicas , poesía y miniconto respectivamente. enriquece en gran medida de él. presencia aquí. Bienvenidos de nuevo y para siempre. beso.

Cristina disse...

Te deseo un excelente fin de semana!
Abrazos miles.

Anônimo disse...

Parabéns bela poesia..