sexta-feira, março 19, 2010

caso ocaso o acaso casar

 8 admirei-as até registrá-las e dividí-las do quintal de casa

Casa a casa com os moradores casando um lar
de quantos casamentos vivemos atores, tentando continuar?
troca-se alianças no emprego até o emprego passar
mas era de mentirinha, criança só deve brincar
passa o anel de mão em mão até o anel acabar
agora passa-se sua extensão sem sair do lugar

na brincadeirinha da vida uma hora um se torna dois
na bainha da hora da demora do tempo casado com a circunstância
não passar de clima e chover trovoadas depois de nublar
o claro dia contrariado com o casório da noite com o planeta

é claro, o dia Ama a noite separada dele pelo casamento das horas com o relógio passado
a moradores do momento lembrando seu lar casado com a memória genealógica...Da Árvore da Vida.

às 22h50, 15 de março de 2010, rafael belo (folha de outono).

4 comentários:

Naty Araújo disse...

Rafa... que imagem show!
Cara, vc é um espetáculo!!

Ahh é tão bom lembrar nossos tempos de criança brincando dessas coisas.
Passar anel e reviver a lembrança enquanto passeamos com os olhos enquanto lemos teus textos.

Estou encantada contigo.
Beijos, Belo!
Tenha um maravilhoso fim de semana.

Mônica disse...

Adorei a foto.

O texto me fez lembrar da história de uma prima. Fizeram o casamento caipira dela com um colega de turma que hj é seu marido de verdade.

Bjs, Rafa!!

Belle disse...

É Rafa, hoje o casamento tá bem isso q vc descreveu mesmo.. uma brincadeira de criança!!!
Uma pena...
Bjossssssss e belo texto...
Ahhhh.. tenho estado em falta com vc, né!!
É o corre-corre.. tá complicado viu!!
Bjos

Rafael Belo disse...

SOu nada! hauahau mas obirgaduuu ehhe é só porque vc me encanta :D bjs

uuu hehehe Nikinha ehhe obrigaduu

Desculpada Belle hehehe :D obrigaduu bjs