terça-feira, março 09, 2010

De tão igual

*nada mais comum e diferente: "All stars" ainda mais sob a luz do entardecer... (tirei faz tempo e há tempos quero utilizá-la...)

E toca o vento o silêncio de estar presente ao volante sem precisar acelerar
moda estranha de querer chegar antes na competição psicológica do tempo
entre o templo sagrado de ser com intenso sentido da lógica de existir agora

na glória de sentir o fluxo do movimento em troca da parada dos ponteiros
de pensar no próximo minuto e esquecer ao qual se passa, na velocidade
máxima da queda da lágrima da gratidão de haver tempo para olhar ao redor

a maior contemplação de ver o mundo girando anti-horário lento a se alcançar
o Amor te Amar de graça na doação das graças concebidas ao se tocar frescor
na brisa da vida vinda vaga para nosso lugar entregar no olhar do coração sobressalente
crente em poder aprender a ver o mesmo Amando em cada gente diferente de tão... igual.

1º de março de 2010, às 15h28, Rafael Belo (Folha de Outono).

3 comentários:

Andrea disse...

Oieeeeeeeeeeeeeee

Amo foto de all star...rsrsrs nessa luz, ficou tudo!!!

Amar é algo único....

bj

Naty Araújo disse...

A foto ficou bela mesmo, sendo tirada por um "Belo" (hahaha) há de se esperar isso.

O amor é único, assim como as pessoas também são. Somos iguais, mas ao mesmo tempo diferentes... e é essa diferença que nos tornam únicos.

Enrolei tudo kkkkkkk.
Bjão, Rafa.
Leve um bjo meu e um desejo de uma ótima noite coberta com nossa "igualdade".

Rafael Belo disse...

Ya ya ! hehehe oieee Sim de toda a unicidade possível :D beijos Déa.

Enrolou nada Naty bela. Fôrma única personalidade então... hehe obrigado :D levei mesmo bj