quinta-feira, janeiro 29, 2009

Leveza de

Somos feitos de pequenas tristezas
Mas as alegrias não padecem
Enaltecem tanto que acreditamos
Que só rir nos apetece

Até a tristeza vestir o coração
Na balança da alma
E tudo pesa
Mas tristezas não duram
São águas marcadas para um futuro

O que acredito ser deixa de ser um dia
E o vento engrossa a chuva pós garoa benta
Então o coração queima ao se redescobrir
Liberdade não é profissão é Alma
Nada pesa mais que a leveza de ser

13h16 (Rafael Belo) 25.01.09

4 comentários:

Isolda Herculano disse...

Gostei da poesia, Rafa. E o tema: nossas tristezas. Sempre atual e inquietante.

Boas inspirações sempre.

Isolda.

Rafael Belo disse...

Agradeço Is! Inspirações me movem :D

Anônimo disse...

Testículo barato, tristeza insipiente. Deixe de fazer drama e escreva umas bem boas críticas, observações e protestos que você assaz faz.


ps: Peço desculpas pela demora guri! Mas havia perdido o endereço do blog. Agora começarei a te enXer o saco.
Grande Abraço!!!!!
Zé!!!!!

Rafael Belo disse...

Enche mesmo Zé! haua hugagahaha valeu! Abraços