segunda-feira, setembro 25, 2017

Sobre o tempo e o ajeitar




por Rafael Belo

Sempre ouvi frases como “tudo ao seu tempo”, “não é hora para isso”, “com o tempo a gente aprende” e, entre inúmeras, a mais famosa: “o tempo cura tudo”. Mas, desde quando me lembro sou - não vou dizer o 'tipo’ de pessoa e colocar todo mundo em uma caixinha de rótulos devidamente etiquetada - de fazer as coisas à minha maneira e se alguém mandava - manda - eu fazer algo que já ia fazer… Eu não faço. Sobre o tempo e o ajeitar das coisas não penso diferente. O tempo não vai ajeitar as coisas pra você, pra mim nem pra ninguém.

Eu vejo pessoas há anos naquela rotina tediosa, repetitiva, exaustiva e – às vezes estão felizes – não vejo felicidade alguma naquilo, neles... Pode ser a única opção, mas não acredito nisso... Tenho o costume de voltar aos lugares onde morei, vou às empresas onde trabalhei e visito àqueles que passaram pela minha vida. Fico surpreso com muitos ainda pensarem e agirem da mesma forma, trabalharem no mesmo lugar, dizerem as mesmas coisas, morarem na casa exatamente como me lembrava… É um choque ver como o tempo só trouxe calos, rugas e experiência.

Não me entendam mal… Estou apenas querendo dizer: nada mudou. Não é o tempo responsável por ajeitar as coisas, nem nossas experiências e marcas. É como lidamos com tudo isso, nossas relações, nossas reações, nossa absorção, nossa absolvição e como usamos o conhecimento da nossa vida. Talvez você seja de reclamar, de ver só coisas negativas e achar que os outros são muito chatos, lerdos ou só atrapalham... Bem isso é um desperdício completo, mas não venha dizer estar perdendo tempo. A gente não desperdiça ou perde o tempo porque nem é possível guardá-lo quem dirá o acumular. Desperdiçamos nós mesmos.


Eu olho para o tempo passando no meu pulso, no microondas, no celular, no rádio e na televisão nenhum mostra o mesmo horário. Estão ou atrasados ou adiantados. Deveria eu os ajustar, os ajeitar porque eu faço o meu tempo. Eu lido com os meus problemas e cotidiano como escolho lidar. Eu dou as prioridades… Eu me ajeito quando eu entender como cheguei até aqui ou é tudo ilusão. Se é longe se é perto, demorado ou ligeiro se é errado ou certo depende do meu tempo e do meu jeito. O tempo não significa nada sem nós porque somos nós que damos significado ao tempo. 

2 comentários:

Anônimo disse...

Maravilhoso esse texto..Adorei. Cinthia

Rafael Belo disse...

Obrigado Ci!!