terça-feira, junho 13, 2017

exótico cotidiano



converso com a antropofagia devorada pelo canibalismo criterioso me olhando com a questão se ainda penso
senso de carnaval bagunçando a moral na esquizofrenia da solidões sentindo multidões
chora esse olhar contaminado no sentir exacerbado no desafinar dos exageros
mastigo significados até se irem todos os gostos
esteja disposto a não estar

presenteie primeiro pessoa presença sua deixe a lua te encher
comece se esvaziando de você antes de ir
os sabores condensam esta neblina estridente
dissipa todo o disponível a partir do seboso momento de não ver

as cordas tensas tocam todas as notas até o som ser eu e você
profanado de sagrado dedilhado na trilha sonora vista neste ouvir particular

mesmo quando falta ar é possível respirar de tantas maneiras quanto a eternidade instantânea pode imaginar nosso destino.


+Rafael Belo, às 16h52, terça-feira, 13 de junho de 2017+

3 comentários:

Vick Fernandes disse...

👏👏👏👏

Rafael Belo disse...

obrigado Vi linda!!

Maria Belo disse...

Gostei muito! Antropofagia!